Posted by: Aba Cohen | October 7, 2010

Prêmio Nobel de Física – 2010

 

Monocamada de grafeno, ao lado de dois planos ou bicamada do mesmo material. A zona mais escura corresponde a muitos planos de grafeno empilhados. Créditos: Peter Blake, Universidade de Manchester - UK

 No dia 05/10/2010, os físicos de origem russa,  André Geim e Konstantin Novoselov, foram nomeados pela Academia Real de Ciências da Suécia, para receber o Prêmio Nobel de Física de 2010. Eles trabalham no Centro de Nanotecnologia da Universidade de Manchester-Inglaterra e em 2004 descobriram de modo bastante curioso o grafeno, uma extensa estrutura bi-dimensional, com espessura de apenas uma camada atômica, toda ela composta por átomos de carbono.   Os cientistas produziram a monocamada de carbono utilizando uma técnica muito simples: pressionaram uma fita adesiva sobre a superfície de um cristal de grafite -é o constituinte dos lápis mesmo!!!- e em seguida a depositaram sobre uma lâmina de vidro (algo como mostra a figura acima). O grafeno tem uma série de propriedades físicas interessantes, como por exemplo alta resistência mecânica -em relação às suas proporções nanométricas-, é condutor de eletricidade e pode ser aplicado em uma infinidade de dispositivos como células solares, telas sensíveis (touch-screens) de telefones celulares e computadores, janelas inteligentes contendo sensores de pequenas quantidades de certos tipos de moléculas -por exemplo monóxido de carbono- presentes em ambientes fechados, detectores de radiação eletromagnética, sensores de tensão,  sequenciadores de DNA etc… A produção em larga escala é o próximo passo na aplicação tecnológica desse novo material. O que chama a atenção no Nobel de Física deste ano é a rapidez entre a descoberta e a premiação (apenas 6 anos após a descoberta; lembremos que Einstein só foi laureado 16 anos após ter explicado o Efeito Fotoelétrico) aliada à reduzida idade dos laureados (André Geim-52 anos e Konstantin Novoselov-36 anos; Einstein tinha 42 anos). É interessante também destacar que o uso científico-tecnológico do grafeno está sendo desenvolvido no Brasil e grupos de pesquisa da UFMG, onde estamos, assim como da UFTM com quem interagimos, desenvolvem estudos para produzir sensores de gas,  a serem utilizados por exemplo em casas energeticamente autônomas. Nesse sentido apresentamos à Fundação de Amparo à Pesquisa de MG – FAPEMIG, em julho/2010, projeto de pesquisa em que iremos combinar diversos tipos de novos materiais, como o grafeno e materiais termomagnéticos, com finalidade de aproveitamento de novas fontes de energia não convencionais. Clique aqui para ver mais a respeito do Premiio Nobel de Física – 2010 e do grafeno


Responses

  1. Bom dia Prof. Abá
    Parece coincidência, mas esta semana recebemos – eu e minha esposa – um email de um amigo (Sergio Pereira – http://www.tcag.ca/dnaSequencingSynthesis.html) que é pesquisador em Toronto no “Hospital for the Sick Child” onde ele desenvolve pesquisa com base no seqüenciamento de DNA, onde esta abordagem do André Geim e Konstantin Novoselov é vislumbrada como separador de água no 3rd generation DNA sequencing, que é o método do momento.
    O seqüenciamento do DNA genômico sempre foi muito importante na sua compreensão. Este seqüenciamento era/e feito em pacotes a nível molecular, onde se fragmentava o DNA genômico e então seqüenciava, ou fazia o seu polymerase chain reaction (PCR) para seqüenciamento específico, ou mRNA para cDNA com fragmentação ou PCR e então seqüenciava.
    O grande negócio do 3rd generation DNA sequencing, com o apoio da descoberta que rendeu este Nobel é que a análise sai do nível molecular, indo para o nível atômico do DNA onde, acredito eu, ficam as respostas mais concisas ou “perfeitas” para um melhor entendimento do seu nível molecular que, por sua vez, leva ao entendimento completo do todo.

    • Olá J. Adriano, é interessante com as coisas são interligadas: dentre as propriedades do grafeno, que não citei no post do PN-Física/2010 está a de funcionar como um tipo de “peneira” atômica extremamente fina. Dei uma olhada no artigo que enviou e não consegui achar isto, mas com certeza a “peneiragem” a nível atômico refinará as informações ao menor nível funcional (os tijolos) do ponto de vista químico. Depois lerei com mais atenção para ver se é isso mesmo. Abraços

  2. PARABENS PELO NOBEL.MANUEL MOREIRA-MOCAMBIQUE-AFRICA

    • Bom dia, Manuel. Agradeço o comentário. Esta matéria sobre o Nobel de Física 2010 tem sido o meu “post” mais visitado dos últimos dias. O que mais impressiona no Nobel deste ano é a simplicidade da descoberta.
      Abraços
      Aba Cohen-Brasil


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Categories

%d bloggers like this: